Redes e Desafios

Rural e urbana: município garante qualidade educacional para todos

Coruripe (AL)

Na pequena Coruripe, a 85 km de Maceió, os moradores dividem o orgulho pelas exuberantes belezas naturais com o de uma Educação que vem fazendo a diferença na vida de meninas e meninos dessa cidade do litoral sul de Alagoas. Entre os educadores, uma espécie de mantra vem sendo repetido nas últimas décadas: qualidade tem de ser para todos, independentemente do CEP. Esse compromisso explica os bons resultados educacionais tanto na rede urbana quanto rural, apesar de contar com recursos financeiros limitados para investimento em Educação.

Deles é o terceiro melhor resultado no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), nos Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental (EF), ocupando a primeira colocação entre os Municípios com população superior a 50 mil habitantes. Entenda o que está por trás da cidade que abriga a escola com o maior Ideb dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental do Brasil – a Escola Municipal Vereador José Wilson Melo Nascimento

.

Temas em foco:

Retrato do desafio

Fatores de sucesso

Para chegar lá, a rede pública de Coruripe tem investido principalmente numa gestão educacional próxima das escolas e voltada para a aprendizagem. Conheça as premissas e os elementos centrais das políticas educacionais que constroem os bons resultados locais.

1
Aprendizagem dos estudantes como objetivo comum de todos

Ofertar uma Educação de qualidade para os estudantes da rede municipal é um compromisso compartilhado por todos os atores educacionais, do Prefeito aos professores das escolas. Cada segmento tem determinadas responsabilidades para concretizar essa visão, com a clareza de que a Educação deve ser feita a muitas mãos.

2
Continuidade da equipe técnica da Secretaria

O elemento central para a continuidade das políticas educacionais é a manutenção da equipe técnica da Secretaria Municipal de Coruripe (Semed), que permanece graças aos excelentes resultados educacionais atingidos pela cidade. Os quadros da Secretaria, em sua maioria, são docentes da rede de ensino, que têm grande alinhamento com a visão e o propósito da Secretaria, e que se destacaram em diferentes funções nas escolas.

3
Visão sistêmica focada na aprendizagem

Os resultados educacionais de Coruripe não podem ser explicados por uma política específica, mas, sim, atribuídos à construção de uma visão sistêmica. Isso significa que há um esforço contínuo em construir um sistema educacional em que diversas medidas e políticas coerentes foram implementadas, de modo que a interação entre elas foi capaz de produzir impacto relevante na qualidade da Educação local.

4
Gestão aberta a parcerias e aportes externos

As parcerias com outras instituições têm um papel central ao trazer para Coruripe soluções educacionais efetivas que apoiam e potencializam as ações da Secretaria e das escolas. Mesmo quando as parcerias acabam, muitos dos elementos são incorporados. O principal exemplo é a sistemática de monitoramento e acompanhamento dos resultados das escolas.

5
Educação inserida em contexto de regime de colaboração

Alguns Municípios da região Sul de Alagoas, incluindo Coruripe, estão destacando-se nacionalmente. Parte desse êxito se deve a Coruripe e estas redes próximas atuarem de forma colaborativa na Educação. Além disso, o programa de colaboração do Governo Estadual de Alagoas com os Municípios, o “Escola 10”, tem sido importante para o avanço dos resultados educacionais de Coruripe e de outros Municípios do Estado.

1
Garantia de alunos presentes e em condições de aprender

A rede municipal de ensino assegura condições adequadas para que todos estejam presentes nas escolas, com suas necessidades básicas e de apoio especializado supridas para aprender de forma efetiva. Os dois principais exemplos dessa visão são a política de prevenção do abandono escolar e os programas de correção de fluxo.

2
Gestão pedagógica coerente voltada à aprendizagem

Coruripe oferta um amplo suporte pedagógico por meio de diversas ferramentas, tais como currículo, materiais pedagógicos, avaliação e formação continuada, para os professores ensinarem de forma mais efetiva, e assegura programas de reforço e recuperação para os estudantes que mais precisam de apoio.

3
Reorganização da rede de ensino para melhores condições de ensino-aprendizagem

Uma das bases do sucesso de Coruripe foi o processo de nucleação de escolas, que contou com um intenso investimento em transporte escolar de qualidade e uma atenção especial para que os alunos das zonas rurais tivessem a mesma qualidade de ensino que aqueles da região central.

4
Monitoramento, suporte e acompanhamento pedagógico da Secretaria

A Secretaria trabalha de forma muito próxima às escolas, estabelecendo metas e fornecendo estruturas de apoio e acompanhamento pedagógico para que as escolas consigam atingi-las. Todo o trabalho de monitoramento e apoio às escolas é pautado por metas, dados de avaliações padronizadas e fichas de acompanhamento.

SAIBA MAIS

Conheça melhor as políticas educacionais de Coruripe na seção “Análises Temáticas”

PONTO DE PARTIDA

Um avanço consistente da qualidade de ensino, que privilegia a continuidade das ações, traduz-se em indicadores educacionais positivos em um longo período de tempo.

Por que consideramos um caso de sucesso

Resultados educacionais positivos ao longo do tempo são os principais indicadores de que os esforços de uma rede de ensino estão obtendo sucesso. Em Coruripe, as séries históricas de indicadores de qualidade atestam a eficiência e avanço do que tem sido feito nas últimas décadas na rede.

O Ideb é o principal indicador de qualidade da Educação no Brasil. O índice é composto por duas dimensões: o índice de rendimento escolar (média das taxas de aprovação do ciclo avaliado) e a média de desempenho no Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

Anos Iniciais

Entre 2005 e 2019, o Ideb nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental de Coruripe avançou de forma positiva, com destaque nas últimas três edições, fazendo com que Coruripe se tornasse a cidade com os melhores resultados no País entre aquelas com mais de 50 mil habitantes (na comparação com todos os Municípios, Coruripe ocupa a terceira colocação).

Fonte: MEC/Inep/DEED. Indicadores Educacionais.
Elaboração: Todos Pela Educação.

Anos Finais

Nos Anos Finais do Ensino Fundamental, Coruripe novamente destaca-se como a cidade com os melhores resultados nessa etapa, entre as que possuem mais de 50 mil habitantes (na comparação com todos os Municípios, Coruripe ocupa a terceira colocação).

FONTE: MEC/Inep/DEED. Indicadores Educacionais.
Elaboração: Todos Pela Educação.

Analisando dados entre 2009 e 2019 de Coruripe, a desigualdade na aprendizagem vem diminuindo, principalmente, pelo avanço das escolas de pior desempenho (a escola de menor resultado avançou 83% no período e a de maior, 36%). Além disso, a mediana acompanhou a melhoria dos resultados da rede e evoluiu ao longo do tempo, indicando que as escolas melhoraram seus resultados de forma simultânea.

FONTE: MEC/Inep/DEED. Indicadores Educacionais. Elaboração: Todos Pela Educação.

Análises temáticas

Como é possível, apesar de um cenário socioeconômico de vulnerabilidade, poucos recursos e diversidade entre rede urbana e rural, conseguir fazer com que os alunos aprendam? Coruripe mostra que não há resposta simples para um desafio complexo como esse. A cidade litorânea nutre uma rede de soluções que se fortalecem mutuamente e têm sido ressignificadas ao longo dos anos. Abaixo, conheça os quatro principais elementos que estruturam a gestão educacional do município e que podem servir de exemplo na rede educacional de sua cidade ou região. Para entender em profundidade cada uma das ações, clique no “Explore Mais” e baixe o estudo completo de Coruripe.

1

Garantia de alunos presentes e em condições de aprender

Voltar ao topo

Todos podem aprender! Essa é a visão compartilhada entre os atores educacionais de Coruripe. Para concretizar esse compromisso, a rede assegura condições adequadas para que todos estejam presentes nas escolas, com suas necessidades básicas e de apoio especializado supridas para aprender de forma efetiva – seja na zona urbana ou rural.

No início dos anos 2000, a rede municipal de Coruripe enfrentava o desafio de que poucos estudantes concluíam o Ensino Fundamental. Para deixar de ser um “funil” e passar a ser um “cilindro”, a secretaria identificou que seria necessário combater dois problemas: o abandono escolar e a distorção idade-série, abordados a seguir.

Política de prevenção do abandono escolar

A partir de 2000, a Secretaria passou a monitorar, mensalmente e por meio de fichas de acompanhamento, os indicadores de frequência das escolas. Ao identificar as unidades com maior número de alunos faltosos – que têm mais chances de abandonar a escola -, a pasta passou a trabalhar com seus diretores. Além disso, as escolas possuem metas de matrículas para cada um dos anos do Ensino Fundamental, que devem se manter constantes ou aumentar a cada ano.


Quando há diminuição de matrículas de um ano para o outro em determinada escola da rede, é feita a investigação se o motivo foi o fato de algum aluno ter migrado para outra escola. Em caso negativo, a escola deve entrar em contato com os responsáveis pelo estudante para entender o motivo de não ter se matriculado.
As equipes gestoras das escolas têm, por sua vez, a responsabilidade de fazer visitas domiciliares ou entrar em contato com os responsáveis dos alunos faltosos para garantir que a situação seja revertida. Em casos mais graves, como último recurso, o Conselho Tutelar pode ser acionado.


Os esforços têm dado resultado. Coruripe vem conseguindo superar as altas taxas de abandono e evasão e dos baixos números de concluintes no Ensino Fundamental. Em 2019, o índice de abandono nos Anos Finais do Ensino Fundamental foi de 0% e, nos Anos Finais, de 0,7%. Além das ações citadas, a condicionalidade de frequência escolar para recebimento do recurso do Bolsa Família impulsionou a presença dos estudantes e fortaleceu os bons resultados.

Programas de correção de fluxo

Em cenários de altos índices de distorção idade-idade série, quando estudantes estão atrasados em sua trajetória escolar e acumulam defasagens, turmas de correção de fluxo são importantes para engajar os estudantes e acelerar a aprendizagem, pois contam com número menor de alunos, materiais pedagógicos adequados e professores formados para esse tipo de mediação pedagógica.


Uma avaliação diagnóstica aplicada em 2000, que revelou um quadro crítico de atraso na rede de Coruripe, levou a Secretaria a implementar dois programas para promover a correção de fluxo: um é para não alfabetizados e em defasagem idade-série, matriculados do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, com o foco na alfabetização; e outro para alfabetizados, mas com baixos níveis de aprendizagem e distorção idade-série, matriculados do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental. A ênfase foi na recuperação da aprendizagem para que o aluno aprenda o suficiente para avançar até dois anos escolares.

O trabalho de correção de fluxo feito pelo Município foi fundamental para o início da transformação educacional de Coruripe, e os resultados se mantiveram até hoje, sendo que os indicadores de distorção idade-série no Município são inferiores à média brasileira.

SAIBA MAIS

conheça todas as etapas do trabalho de correção de fluxo de Coruripe no documento completo sobre a rede de ensino. Faça download no “Explore Mais”.

2

Gestão pedagógica coerente voltada à aprendizagem

Voltar ao topo

Gestão pedagógica padronizada, coerente e centrada na aprendizagem do aluno é um dos segredos mais importantes para o sucesso da rede de ensino de Coruripe. Trata-se de um sistema de acompanhamento muito bem estruturado, que mensura resultados, mas também apoia professores de forma adequada para ensinarem de maneira mais efetiva.

Clareza sobre o que deve ser ensinado: definição do currículo

Coruripe conta com um currículo municipal desde 2009, quando a rede municipal estabeleceu um referencial curricular padronizado para Língua Portuguesa e Matemática alinhado às matrizes de descritores da avaliação Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica). Em 2017, o currículo foi revisto e, agora, está alinhado não apenas aos descritores da prova, mas também ao currículo estadual de Alagoas e à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Os objetivos de aprendizagem do currículo são distribuídos ao longo do ano. No início do período letivo, a Semed entrega um cronograma às escolas com os elementos que devem ser trabalhados em sala de aula em cada mês e bimestre. A prática facilita o acompanhamento pela Secretaria do desempenho dos estudantes e também a formação continuada dos professores, na medida em que todas as escolas trabalham os mesmos objetivos de aprendizagem de forma simultânea.

Diversidade e otimização: oferta de materiais pedagógicos

Coruripe conta com uma variedade de materiais pedagógicos. Assim, os principais recursos pedagógicos disponíveis são:

  • Livros didáticos do PNLD;
  • Livros para reforço e recuperação, fornecidos pela Editora Espiral;
  • Cadernos de atividades para 5º e 9º anos do Ensino Fundamental, do programa estadual “Escola 10” ;
  • Material didático próprio da Semed.

Para coordenar o uso de tantos insumos, a Semed seleciona, em conjunto com as escolas, os materiais que devem ser usados para trabalhar cada objetivo de aprendizagem previsto no currículo. Para conseguirem se apropriar do material e pensar nas melhores estratégias didáticas, os professores recebem cadernos de orientação didático-pedagógica e formação específica para utilização dos livros em sala de aula.

COLABORAÇÃO ESTADO-MUNICÍPIO

Visando superar os baixos indicadores educacionais identificados em 2015 e 2017, e apoiar os Municípios na Educação Básica, o governo estadual de Alagoas criou, em 2017, o “Escola 10”, um programa que visa integrar as redes estadual e municipais de ensino. A iniciativa oferece apoio técnico e financeiro, na forma de material didático complementar, pagamento de bolsas a profissionais responsáveis pelo acompanhamento pedagógico das unidades de ensino (chamados articuladores) e realização de avaliações padronizadas .


Os objetivos do programa são:

  • Garantir que todos os estudantes dos sistemas públicos de ensino estejam alfabetizados, em Língua Portuguesa e em Matemática, até o final do 3º ano do Ensino Fundamental;
  • Reduzir os índices de alfabetização incompleta, letramento insuficiente e diminuir a distorção idade-série na Educação Básica;
  • Reduzir a taxa de abandono escolar;
  • Melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb);
  • Construir propostas para a definição dos direitos de aprendizagem e desenvolvimento dos estudantes na Educação Básica.

SAIBA MAIS

Em “Explore Mais”, baixe o documento completo de Coruripe e conheça todas as etapas dessa política bem-sucedida.

Informações valiosas: sistema de avaliações


Com currículo definido e material pedagógico de qualidade, a Secretaria potencializou essa rede de apoio a escolas e educadores com informações importantes – um sistema de monitoramento e acompanhamento da aprendizagem em Coruripe. Além das avaliações nacionais e estaduais existentes, a Secretaria promove avaliações padronizadas junto às escolas. Os professores também avaliam os estudantes em salas de aula.

FICHAS AVALIATIVAS

Mensalmente e bimestralmente, a partir dos resultados das avaliações formativas, que detectam dificuldades durante a aprendizagem, os docentes preenchem fichas de acompanhamento dos alunos, descrevendo o desempenho de cada estudante nos objetivos de aprendizagem definidos para o período. Dado o acompanhamento mensal dessas informações, as correções de rumo ocorrem de maneira rápida, importante para não comprometer o aprendizado do aluno.

As fichas são enviadas para a Secretaria que faz um acompanhamento centralizado. A análise desses dados dá a base para o planejamento das formações continuadas adequadas para a rede e gera uma devolutiva para as escolas, indicando correções de rota para atingir as metas propostas para o ano. Esse acompanhamento frequente permite o monitoramento contínuo de todas as escolas e possibilita a criação de planos de ação para diminuir a disparidade de resultados entre as escolas.

Para avaliar a rede, desde 2010, a Semed lança mão de um sistema de avaliações mais abrangente. São aplicadas três avaliações padronizadas durante o ano: uma diagnóstica, uma de percurso e uma final. Nos anos em que há Saeb, também é comum que a Semed promova simulados para preparar os estudantes para a prova. Por fim, as escolas ainda participam da Prova Alagoas, uma avaliação estadual no âmbito do “Escola 10”.

Com todos esses dados, há uma análise de resultados, explicitando o percentual de estudantes por padrão de desempenho, para cada ano escolar, com o objetivo de orientar a reorganização das metas, propondo estratégias pedagógicas concretas e para que os estudantes evoluam.

Ninguém para trás: reforço e recuperação


Os programas de reforço e recuperação, que ocorrem no contraturno, cumprem um papel fundamental em oferecer apoio especializado aos estudantes de Coruripe, identificando lacunas de aprendizagem e garantindo correção das defasagens. Com tempo determinado de duração e com os mesmos professores do turno regular, o reforço conta com materiais didáticos específicos para nivelar os alunos e resgatar habilidades em defasagem. Os professores recebem uma bolsa adicional para dar essas aulas, além de apoio pedagógico com formações e materiais específicos.

A política de reforço é bem estruturada para que funcione como um apoio pontual, sendo considerado último recurso, e não continuado: o foco é recuperar conteúdos que estão defasados, e não substituir ou repetir o trabalho que deve ser feito em sala de aula. Para isso, o encaminhamento para o reforço no contraturno é feito como último recurso, com um número limitado de alunos, tempo pré-determinado de três meses para a recuperação do aprendizado e material específico.

Aperfeiçoamento de professores: formação continuada

Outro elemento muito importante para os resultados de Coruripe é a formação continuada dos professores, que tem como foco o currículo e conta, também, com muita troca de experiências entre os docentes. As formações acontecem principalmente nas escolas, ainda que existam formações ofertadas pela Secretaria em outros locais. 

Um dos diferenciais do processo formativo dos docentes é que os professores estão acostumados com a visita do coordenador pedagógico nas salas de aula, acompanhando o seu trabalho e orientando as práticas pedagógicas. Essa importante estratégia formativa favorece a reflexão sobre a prática docente e constrói uma necessária relação de parceria entre o coordenador e os professores. 

Além disso, nos momentos formativos na escola, a colaboração entre os professores é incentivada e, nos momentos mais amplos, promovidos pela Secretaria, sempre existe espaço para as escolas trocarem experiências e relatarem as práticas pedagógicas que vêm obtendo êxito ou não.

SAIBA MAIS

No documento completo sobre Coruripe, descrevemos as principais características da formação continuada na rede. Clique no “Explore Mais” para baixar.

3

Reorganização da rede de ensino para melhoria das condições de ensino-aprendizagem

Voltar ao topo

Para melhorar as condições de ensino-aprendizagem nas escolas, Coruripe conduziu um processo de reorganização da rede de ensino, que aconteceu por meio da nucleação de escolas. Para garantir o êxito desse processo, o Município necessitou garantir um transporte escolar de qualidade para que os alunos da zona rural tivessem acesso às escolas. Essas duas dimensões serão exploradas nesta seção.

Nucleação de escolas

Coruripe é um Município de grande extensão territorial. No passado, muitas unidades escolares eram compostas por poucas matrículas e salas, classes multisseriadas (que agregam alunos de diferentes anos escolares), infraestrutura inadequada e professores não habilitados. Além disso, o grande número de escolas e os locais de difícil acesso dificultavam o processo de monitoramento, suporte e acompanhamento por parte da Secretaria. As avaliações diagnósticas feitas em 2000 apontaram que as escolas rurais pequenas tinham os maiores índices de analfabetismo, distorção idade-série, abandono e evasão e níveis de aprendizagem menores. Por isso, em 2001, deu-se início à nucleação de escolas – processo em que as unidades com poucas matrículas são fechadas e os alunos transferidos para escolas maiores, com infraestrutura e condições para as atividades de ensino-aprendizagem melhores.

O primeiro passo dado para começar o processo de nucleação foi o diálogo, uma vez que o fechamento de uma escola suscita muitas dúvidas e levanta receios. Reuniões com as comunidades escolares das unidades que seriam fechadas incluíam a presença da equipe da Semed, inclusive o Secretário, e, em muitos casos, do próprio Prefeito. Para convencer a comunidade de que a mudança seria pensando no benefício da aprendizagem, a Secretaria utilizou três estratégias: (1) diálogo, mostrando que os estudantes teriam Educação de melhor qualidade; (2) oferta e bolsa para os professores das unidades fechadas cursarem o Ensino Superior; e (3) uso dos prédios das escolas fechadas para outros serviços públicos, como de Saúde e Assistência Social.

Fonte: MEC/Inep/DEED. Microdados do Censo Escolar.
Elaboração: Todos Pela Educação.
SAIBA MAIS

A reorganização da rede trouxe inúmeros benefícios frente às necessidades específicas de Coruripe. Conheça a lista e o contexto dessa mudança no estudo completo de Coruripe.

Transporte Escolar

Com a nucleação das escolas, surgiu a necessidade de investimentos vultuosos para viabilizar o transporte dos estudantes para as escolas. A Prefeitura investiu na melhoria das estradas para que fosse possível a circulação dos ônibus, adquiriu ônibus escolares e contratou mais motoristas e monitores para garantir que o deslocamento dos alunos fosse feito de forma adequada. Ações que foram possíveis graças aos recursos financeiros disponíveis no Município para Educação (Tesouro Municipal, Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e Salário-Educação) e de transferências diretas do Ministério da Educação (Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate), Plano de Ações Articuladas (PAR)).

Além disso, em um Município com as características geográficas de Coruripe, garantir um transporte escolar de qualidade é uma condição central para o desenvolvimento da Educação local. Essa é a realidade de muitas cidades do Brasil e, por isso, ter compromisso com o transporte escolar e fazer uma boa gestão dos recursos levando esse serviço em conta faz parte de um trabalho focado no avanço do ensino.

4

Monitoramento, suporte e acompanhamento pedagógico da Secretaria

Voltar ao topo

A Secretaria Municipal de Educação de Coruripe trabalha de maneira muito próxima e alinhada com as escolas, a partir de um processo de acompanhamento contínuo, metas bem estabelecidas e cobranças claras. Abaixo, é destacada a estrutura organizacional que favorece essa relação mais próxima e o sistema de monitoramento de resultados.

Estrutura organizacional de apoio às escolas

A Semed de Coruripe conta com cerca de 30 servidores. A figura do Gerente Administrativo e Pedagógico garante coesão entre os trabalhos dos Gerentes de Ensino e os coordenadores.  Cada gerente de ensino é responsável por cinco a sete escolas de uma região do Município. A rede ainda conta com coordenadores divididos por especialidades, que trabalham em conjunto com os coordenadores pedagógicos de todas as escolas. O Articulador do “Escola 10” acompanha e monitora as turmas que farão o Saeb (5º e 9º anos), desenvolvendo ações específicas e promovendo e disseminando boas práticas. Para entender as atribuições das cinco áreas de responsabilidade da Secretaria Executiva de ensino, leia o estudo completo de Coruripe.

TÉCNICOS COMPROMETIDOS

A Semed identifica os servidores que se destacam nas escolas e os chamam para compor a equipe técnica da Secretaria, que é formada, principalmente, por profissionais que já tiveram experiências em escolas. Além da experiência do servidor, outro critério de seleção crucial é o alinhamento de propósito entre os profissionais e a Semed: é notável o grau de alinhamento existente, assim como o seu impacto nos resultados, permitindo um engajamento e um importante sentimento de pertencimento à rede.

Acompanhamento do trabalho das escolas

O trabalho de monitoramento e apoio às escolas em Coruripe é pautado pelas práticas listadas anteriormente: metas, dados de avaliações padronizadas e fichas de acompanhamento. Também há a visita frequente dos Gerentes de Ensino às escolas.

A partir da análise das fichas, a equipe técnica envia para as escolas circulares mensais, cruzando os dados e informando pontos positivos e em desenvolvimento, com sugestão de estratégias para potencializar os resultados. Nas escolas com maiores desafios, as gerentes da Secretaria fazem visitas periódicas para acompanhar o trabalho da gestão, ajustando metas, trazendo dados e discutindo estratégias pedagógicas para alcançar os resultados propostos. Há também produção de material pedagógico pela equipe técnica da Secretaria e o envio de três avaliações municipais ao longo do ano. Todas essas informações geradas orientam as ações da Secretaria, as formações continuadas da rede, as trocas de experiências entre escolas e professores e alertam para os principais pontos de atenção durante o período escolar. Entenda o fluxo secretaria-escolas:

Veja também

Educação Que Dá Certo: Pernambuco

Episódio conta a trajetória de políticas educacionais no estado que é referência em tempo integral

Educação Que Dá Certo: Espírito Santo

Expediente

  • COORDENAÇÃO GERAL
  • Priscila Cruz
  • Presidente-Executiva
  • Olavo Nogueira Filho
  • Diretor-executivo
  • Gabriel Barreto Corrêa
  • Líder de Políticas Educacionais
  • REDAÇÃO
  • Ivan Gontijo
  • Coordenador de Políticas Educacionais
  • CONSULTORA TÉCNICA
  • Maria Marques Nassif
  • Consultora Educacional
  • REVISÃO TÉCNICA
  • Gabriel Barreto Corrêa
  • Líder de Políticas Educacionais
  • Maria Cecília Gomes Pereira
  • Coordenadora de Políticas Educacionais
  • DIAGRAMAÇÃO EXTERNA
  • Estúdio Labirinto
  • COORDENAÇÃO EDITORIAL
  • Pricilla Kesley
  • Coordenadora de Comunicação
  • Priscilla Cabral
  • Líder de Comunicação e Mobilização
  • APOIO TÉCNICO
  • Falconi Consultoria
  • Theodora Beluzzi
  • REVISÃO EXTERNA
  • Paula Bosi
  • Jornalista e Revisora
  • APOIO
  • Elder Sant’Anna